HIIT + Pilates: Com o Corpo de 21

5 (100%) 1 vote

HIIT + Pilates: Com o Corpo de 21

Que todo mundo deseja um corpo perfeito e queimar gorduras não é novidade. Porém, a procura por uma atividade ou estilo de treinamento que não exija muito e ainda seja eficiente na tarefa de eliminar calorias é contínua. Isto porque cada pessoa tem um estilo ou tipo de atividade que se sente melhor e nem sempre sua atividade preferida lhe ajudará a reduzir medidas. Então vamos apresentar uma ótima solução para quem deseja emagrecer através de uma atividade que não seja muito exaustiva e tem por vantagem apresentar resultados em pouco tempo.

Estamos falando de um método que une o HIIT e o Pilates (Programa Corpo de 21), transformando os treinos numa verdadeira seção para derreter gorduras. Quer saber por quê? Veja as vantagens dos dois tipos de exercícios e entenda os motivos.

Alta Intensidade do HIIT

HIIT (High Intensity Interval Training) é uma prática de treinos que intercala entre exercícios de alta intensidade e pequenos descansos. É excelente para acelerar o metabolismo e fazer o corpo queimar gorduras. Os treinos são curtos, de apenas alguns minutos, mas o corpo elimina calorias por horas continuamente, mesmo que o praticante não faça nenhuma atividade. Para os que acham que os treinos intervalados de alta intensidade pode ser cansativos os adeptos lembram que ficar numa academia por horas pode ser bem mais e os resultados podem simplesmente não aparecer.

Sistema De Energia Anaeróbio

Anaeróbio, literalmente, significa “sem”oxigênio. O sistema de energia anaeróbio é o que fornece energia em todos os esforços de até 1 minuto. Nos primeiros 10-15 segundos, o fosfato é usado e só depois disso que, glicose e ácido lático são envolvidos no esforço.

Durante rajadas de 10-15 segundos, há uma pequena quantidade de ácido lático produzido. Períodos de descanso de 30 segundos a um minuto irão fornecer recuperação completa do sistema de fosfato (ATP-CP), que é um dos sistemas responsáveis pela produção de energia sem oxigênio.

Sistema De Energia Aeróbio

Aeróbio, literalmente, significa “com”oxigênio. Este sistema de energia é utilizado durante o exercício prolongado acima de pelo menos 3-4 minutos. Enquanto há oxigênio suficiente para fornecer energia, a fadiga que você experimenta permanecerá em um nível baixo.

Esta é a razão por que muitos atletas treinam em altas altitudes onde há menos oxigênio. Treinando em altas altitudes, eles podem aumentar o número de células vermelhas do sangue o que irá ajudá-los a permanecer por um longo período de tempo com pouca ou nenhuma fadiga.

Eficiência do Pilates

Entre os benefícios do pilates temos o fortalecimento da musculatura e consequente queima das gorduras. Normalmente o pilates é lembrado apenas em situações de melhora da postura ou trabalho dos movimentos (fisioterapia), mas os exercícios são ótimos para quem deseja eliminar calorias, existindo uma série de exercícios com este fim. E o interessante dos exercícios de pilates é que normalmente não irão exigir tanto de quem executa. Todos os treinamentos podem ser considerados leves. E mesmo com a facilidade para serem realizados são ótimos e trazem uma série de benefícios para o praticante.

HIIT vs exercício moderado contínuo

Treinamento intervalado de alta intensidade tem sido mostrado para reduzir significativamente a gordura subcutânea, especialmente gordura abdominal, bem como a massa corporal total e em melhorar o VO2 max (um marcador de aptidão física) e sensibilidade à insulina. Em comparação com o (EAMC) , HIIT queima mais calorias e aumenta a oxidação de gordura pós-exercício e o gasto de energia. Além disso, HIIT diminuiu o colesterol total e o LDL-colesterol, aumentando o HDL-colesterol e VO2 máximo mais do que EAMC. Curiosamente, em um estudo de 2008, a perda de gordura foi significativamente aumentada após HIIT, enquanto a perda de gordura não variou em pacientes EAMC e grupos controle, ie. não houve diferença na perda de gordura entre os sujeitos que realizam CME e os inativos. Em um estudo que destaca a eficácia do HIIT, os indivíduos que faziam HIIT demonstraram melhoras na função endotelial, VO2 máximo, índice de massa corporal (IMC), percentual de gordura corporal, pressão arterial e regulação da glicose, mais do que um grupo que recebeu aconselhamento dietético e psicológico em adição ao EAMC. Talvez um dos fatos mais importantes, houve maior gasto de energia (por exemplo, com HIIT), quando avaliado por equivalentes metabólicos (MET) resultando numa diminuição do risco de eventos cardiovasculares em homens e mulheres, e diminuição mortalidade por qualquer causa. No entanto, são necessários estudos de longo prazo para avaliar especificamente o efeito do HIIT na mortalidade geral.

HIIT efeitos em populações de alto risco

Em pacientes com doença cardiovascular, HIIT Corpo de 21 mostrou ser superior na redução da pressão sanguínea, em melhorar a função endotelial, perfis de lípidos, VO2 máx, na função do miocárdio em geral. Pacientes com síndrome metabólica que realizam HIIT têm demonstrado ter melhorado a função endotelial, a sinalização de insulina, glicemia e lipogênese.

Estudos realizados em doentes DM2 (diabetes) tem demonstrado que a glicose sanguínea reduz e um aumento na capacidade mitocondrial e expressão de GLUT4 após apenas 2 semanas de três sessões de 20 minutos de HIIT por semana, e têm mostrado melhorar significativamente a tolerância à glicose em 6 meses.

É importante ressaltar que os programas HIIT não são apenas eficazes, mas também são seguros. HIIT tem sido utilizado de forma eficaz em pacientes com diabetes, angina estável, insuficiência cardíaca e após o infarto do miocárdio, bem como pós- stent e enxerto de artéria coronária.

Mais pesquisas ainda são necessárias para o efeito de HIIT contra CME com doenças cardiometabólicas, especialmente a observação de resultados a longo prazo. Da mesma forma, é necessária a elucidação da eficácia de HIIT em certas populações de pacientes, tais como naquelas que tenham recuperado de um acidente vascular cerebral ou naqueles que sofrem de doença arterial periférica.