Como Escrever um Livro

Rate this post

Como Escrever um Livro

Qualquer um que tenha uma história pra contar pode escrever um livro – seja para o próprio divertimento ou para que várias pessoas o leiam (e com sorte, o comprem). Se você se vê criando narrativas em sua cabeça enquanto lê seus romances favoritos, ou quando está dando uma volta pelo parque, experimente escrever essas histórias. Ainda que pareça ser desafiador, você consegue fazê-lo. Nós iremos lhe dar algumas dicas para você começar.

Compre um caderno. Ou vários. Enquanto você pode querer digitar seu livro diretamente no computador, pode não ser possível ter um por perto quando a inspiração aparecer. Assim, é bom ter por perto aquela velha caneta e papel onde quer que você esteja.
Um caderno de capa de couro é mais robusto, enquanto que um caderno simples em espiral mesmo que não seja robusto, é fácil de manter aberto.

Ponha sua cabeça pra pensar. Agora que você tem um caderno, é hora de enfrentar o bicho-papão de todos os escritores: a primeira página. Use as primeiras páginas para criar uma visão global de sua história incluindo um esboço, notas sobre as personagens, (possíveis nomes, descrições, histórias passadas, etc.), lugares, época – todas as pequenas coisas que entram em uma grande história. Existem muitas vantagens nesse tipo de visualização, observe.

Você sempre terá algum material para usar como referencia quando ficar sem ideias. E é bom criar seu manul de dicionario, como algumas palavrinhas bonitas e difíceis que já procurou o significado no dicionario para enriquecer seus textos, se assim desejar.

Crie a visão geral de sua história; incluindo um esboço, notas sobre personagens (possíveis nomes, descrições, “histórias de volta”, etc.), os lugares, a era em que a história ocorrerá. Existem várias vantagens para esta abordagem mais panorâmica.

Isso irá lhe dar novas ideias para sua história enquanto você descreve diferentes partes dela.
Nada vai para o lixo. Você pode descrever um personagem, por exemplo, que nunca aparece na história diretamente, mas que influencia diretamente outro personagem.

Faça uma tabela e escreva todos os personagens que possuem um significado especial na história. Use seu caderno para escrever muito sobre eles. Crie uma história passada para alguns deles. Isso ajudará você a visualizar e até mesmo aprender sobre o seu próprio personagem mais.
Desse modo, você sempre terá algo para citar quando você ficar sem ideias imediatas.

Crie o seu esboço. Um esboço irá ajudar você a definir o arco de sua narrativa – o início, o desenvolvimento da trama e dos personagens, a criação dos eventos principais que levarão ao clímax, e então o desfecho.

O início da história é geralmente a parte mais difícil – se você quiser que seja assim. A melhor coisa a se fazer é começar o mais amplamente possível. Digamos, por exemplo, que você quer escrever um romance de mistério, e que você é um fã da segunda guerra mundial. Escreva isso: Mistério, Segunda Guerra Mundial. A beleza dessa técnica é que ambas as categorias são amplas, mas simplesmente ao colocá-las lado a lado, você instantaneamente restringe o campo de possibilidades. Você agora tem, no mínimo, uma época, e um ponto central. Alguma coisa misteriosa aconteceu durante a Segunda Guerra. Tente se concentrar um pouco mais.

Você pretende criar uma história íntima, ou de contexto geral? A segunda guerra certamente foi ambos. Por exemplo, digamos que seja a história de um soldado.

Em que época ela se passa? Na época da segunda guerra, lógico, já que é a história de um soldado desse período – ou não? Esse é um dos momentos decisivos que irá decidir o seu trabalho. Digamos que sua história se passe na época atual. Imagine o cenário: Seu personagem principal encontra um diário – o diário do avô da segunda guerra mundial. Isso é uma grande revelação, já que seu avô nunca voltou da guerra, mas ninguém sabe o que aconteceu, já que o corpo nunca foi encontrado. Talvez, nesse diário, o seu personagem irá descobrir a resposta.

Você agora tem muitas perguntas importantes respondidas. Você agora tem muitas perguntas importantes respondidas. ‘’Quem’’? O seu personagem. ‘’Quando?’’ No passado e no tempo atual. ‘’O que?’’ Um diário, um mistério, e uma pessoa desaparecida.Você ainda não sabe o “porque”, ainda. Essa é uma das coisas que você vai descobrir. Como? Novamente, isso será revelado fazendo perguntas a si mesmo. Confira técnicas especiais de sobre assunto clicando aqui.

Desenvolva seus personagens. Comece com o óbvio. Nesse caso, você já criou dois personagens – um jovem rapaz e seu avô. Você pode determinar características dos dois simplesmente pelo cenário, e expandi-los mais tarde. Seu avô com certeza foi casado, então existe uma avó. Existe uma geração entre o avô e o jovem rapaz, então um dos pais dele é filho ou filha do avô. Viu como é fácil?

Continue assim desse jeito, estendendo um personagem a outros conforme eles vão interagindo entre si. Em pouco tempo, é possível que você já tenha muitos personagens e interações. Isso é bom, especialmente se tratando de um romance de mistério.

No processo de desenvolver personagens, você irá acabar fazendo a si mesmo a mesma pergunta que seus leitores em breve irão fazer: “O que irá acontecer depois?” Use essas perguntas para desenvolver a história. Por exemplo, o jovem rapaz quer descobrir o que aconteceu com o avô dele. Uma vez que tudo o que ele tem é um diário, ele o lê, e descobre a história que fez o avô e a avó se mudarem de uma pequena cidade para as praias da Normandia, atrás das linhas inimigas – tudo isso escrito em seu diário. Ele nunca conseguiu voltar pra casa. Sabendo esses fatos, você começa a enxergar perguntas e um padrão é mostrado:

Os eventos ocorrem “hoje” e também na segunda guerra. Como escrito no diário, a data é 1944.
Para acrescentar alguma ação à história, o jovem rapaz deve fazer alguma coisa. Já que o avô nunca chegou a voltar pra casa, mande o rapaz ir à Alemanha para encontrá-lo – vivo ou morto.
E a avó, onde ela se encontra no meio disso tudo?

Continue através desse processo para criar o arco, e nesse ponto você até pode arriscar um esboço do final: o rapaz descobre porque o avô nunca chegou a voltar, mas descobre como o diário retornou. Então tudo o que você precisa fazer é escrever os acontecimentos intermediários.

Faça uma linha do tempo para seu esboço. Agora que você já criou um enredo básico, faça o rascunho de uma linha do tempo para sua história, com cada evento importante dos seus personagens demarcados na linha do tempo. Existirão vezes em que dois ou mais personagens se cruzarão, e onde alguns desaparecem completamente. Apenas desenhe a linha onde esses eventos ocorrem. Isso também irá ajudar você caso em algum momento sua criatividade fique em falta.

Não hesite em fazer edições. Se você achar que sua trama não vai a lugar algum, e nada que você faça irá ajudar – volte ao ultimo ponto onde tudo fazia sentido, e tente algo diferente. Não é obrigado que sua história faça tudo o que está descrito na linha do tempo. Algumas vezes, a história em si tem outras ideias para onde ela irá rumar. Onde quer que você esteja no processo, sua criatividade pode levar você a vários lugares. Siga-a – isso faz parte do prazer de escrever.

Fonte: WikiHow